Acabei de ler uma coisa que eu precisei guardar aqui: passamos a vida inteira querendo ser independentes, ao mesmo tempo que nos relacionamentos desenvolvemos o contrário. Pensamento cirúrgico, pois é exatamente isso que eu estou vivendo atualmente.

Eu sempre quis ter o meu dinheiro. Dinheiro pra mim significa muito mais do que um tênis novo ou um ingresso pra balada. Pra mim significa liberdade. É por isso que não concordo com o “dinheiro não traz felicidade”. Traz sim, o negócio é saber usar. Por isso eu estudo, trabalho e não gasto tanto. Fico chocado quando vejo pessoas buscando relacionamentos com homens mais velhos para serem bancados. Costumo dizer que não quero dinheiro nem dos meus pais, imagina de quem transa comigo.

Mas afetivamente, realmente. Isso que eu sinto que na maioria das vezes pode ser lido como “carência” que, cá pra nós, é uma merda, faz com que eu me apegue a qualquer ser humano que demonstre um pouco de afeto por mim. Ok, não é pra tanto, mas eu já fui muito mais crítico. Foi-se a época que eu, um rapaz intelectual com gosto excêntrico, selecionava a dedo quem se relacionava comigo. Hoje o cara pode ser fã de Katy Perry ou Avril Lavigne que, se for gente boa, já chamo pra tomar uma breja no beco, mesmo que eu não beba álcool.

Tenho que colocar na minha cabeça que eu estou bem, estou vivendo a minha vida e que eu não preciso de alguém pra ser feliz. Claro, uma vida compartilhada é bem melhor, mas quero estar com uma pessoa não por necessidade, e sim porque a companhia dela é boa pra mim. Em suma, nada de obsessão ou algo do tipo. Fico impressionado como eu sou um mestre na teoria e uma tragédia na prática hahaha.

Sinto a necessidade de parar de parecer tão vulnerável porque eu estou bem longe de ser um pobre coitado. Quero ser uma pessoa mais forte, com a autoestima mais elevada. Agora à tarde me analisei sem roupa no espelho. Meu corpo é lindo. Até a cicatriz de furúnculo que tenho na bunda ganha status de charme nos meus 1,86m de altura e 75kg.

Não gostei muito desse texto que escrevi, pois o fiz meio aleatoriamente. Tô precisando escrever mais, isso me alivia muito. Também porque é uma das minhas qualidades e não quero perder isso nunca.

E, Hernandes, pelo amor de Deus, para de ouvir música triste pois você já é melancólico o suficiente. Tô precisando falar isso na terceira pessoa pra ver se eu acordo. Vamo ser feliz, caraio.

Corpo espetáculo.

Autoestima delirante.

Maiô da Mulher Maravilha.

Anúncios
Posted by:HERNANDES

Eu sou um protesto contra a insensibilidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s