Pessoas saem da minha vida com a mesma velocidade que entram. Me sinto uma rodoviária. Tão sujo quanto o banheiro de uma.

Não sei como vocês lidam com a solidão, mas eu, quando esse sentimento aparece, costuma ser dolorido. É sempre quando menos se espera. Pode ser lendo um livro, fazendo miojo ou até mesmo na fila da lotérica. Quando você está distraído essa senhora sem escrúpulos te ataca sem pensar em seus familiares e amigos.

Me sinto sozinho muitas vezes. Na verdade, como eu já devo ter dito essa história milhares de vezes, fui criado entre duas cidades pequenas e a fazenda do meu avó. A única companhia que eu tinha era a minha mesma. Portanto, o contato que eu tenho com as pessoas é bem recente.

Essa falta de outras pessoas e a abundância de mim mesmo teve seu lado positivo. Eu precisei mergulhar em mim mesmo para passar o tempo. Não diria que eu me conheço sem por cento, na verdade acho que estou bem longe disso. Mas, de certa forma, isso me deixou mais sensível, empático e sábio. Os CD’s e DVD’s eram meus amigos. Por outro lado, precisei me descobrir sozinho. Eu não conhecia outras pessoas iguais a mim, eu não me sentia desejado, ou aceito. Tenho problemas de baixa autoestima até hoje. Às vezes eu falo que me acho bonito para me afirmar, mas é fácil perceber que eu mesmo me rebaixo.

Desde que caí no mundo real, longe do meu pequeno vilarejo isolado das atrocidades viciantes da vida, ainda não tive uma relação profunda com quem quer que seja. Não que eu seja puta, muito pelo contrário. É a vida que é pura sacanagem. Já estive em todos os aplicativos possíveis do Android e a única coisa que consegui com eles foi sexo casual. É muito bom, mas após o gozo eu lembro que tenho com quem transar, mas não tenho com quem conversar.

Eu até fico com a mesma pessoa várias vezes consecutivas, mas chega um momento que a coisa desanda. Não sei o motivo. Talvez todos os meus pseudorelacionamentos tinham uma data de validade mesmo, mas isso não posso afirmar. Porém todos acabam antes de um mês. É muito triste, segura a minha mão.

Há quem diga que eu preciso pedir a Deus um companheiro. Eu não sei. Será que Deus teria tempo de me arrumar um namorado em meio ao caos que vive esse mundo? Se fizesse isso, seria foda. Imagina fazer um sagitariano fã de Lykke Li e FKA twigs, Almodóvar e Woody Allen, ter um relacionamento recíproco? É de parar para se admirar.

Fato é que as pessoas saem da minha vida com a mesma velocidade que entram. Me sinto uma rodoviária. Tão sujo quanto o banheiro de uma. E lido com um questionamento interno, pois não sei se o que sinto é natural, já que o ser humano tem a necessidade de se relacionar, ou se é pura carência.

Tenho medo de terminar tudo sozinho. Mesmo que falem que namorar é ruim, que demanda tempo e dinheiro, não consigo ver nada de negativo em amar e ser amado. Falo de reciprocidade. Isso pra mim ainda é inédito, acho que vou escrever um livro quando acontecer. Em suma, sou homem livre o suficiente para falar sobre meus sentimentos. Não só falar, como também escrever. E dizem que o amor uma hora chega para todos. Tomara que estejam certos, estou cansado de pessoas aleatórias que vão embora sem se despedir. Além de achar isso falta de educação, também acho filhadaputice.

Curta a página do ‘Acerbo aos Domingos’ no Facebook.

Anúncios
Posted by:Hernandes Matias Junior

Eu acordo cedo nos feriados. O vício da rotina não me permite acordar depois das nove, ao mesmo tempo que a TV me bombardeia sem tréguas com a programação da manhã e me causa sonolência, mas não tédio. Tédio é sentimento de pessoas que não têm inspiração, e isso é o que não me falta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s