Você está indo ao shopping encontrar seus amigos. No caminho você pega seu smartphone e dá uma olhada nos seus e-mails. Chegando ao encontro, você dá um check-in e entram em algumas lojas que têm outlet escrito na entrada. Depois vão lanchar. Come um hamburguer com um refrigerante diet. Logo após, pede um milkshake.

Percebeu o quanto palavras em inglês estão banalizadas no nosso cotidiano? Falamos e nem percebemos, como se elas sempre estiveram no dicionário Aurélio. A norte-americanização do nosso idioma me deixa intrigado.

Eu sinto culpa por ouvir tanta música em inglês. Claro que não são daqueles sem noção que falam com orgulho que não gostam de nada nacional. Muito pelo contrário, gosto e muito da música brasileira e acredito que eu possa usufruir mais dela. Sem dúvidas alguma, a MPB, o Samba e a Bossa Nova são um tesouro que nós devemos preservar.

Aliás, eu gostaria de ter essa estética MPB. Barbudo, cabelo bagunçado, camisa estampada ou xadrez. Não tenho barba, eu raspo minha cabeça e 90% das minhas roupas são pretas. As pessoas acham que eu sou roqueiro, e de vez em quando me perguntam na Internet sobre a minha banda, coisa que nunca tive.

Tudo bem que alguns autores estrangeiros são leituras obrigatórias, mas e esses best-sellers? A gente tem que ler mais literatura nacional. Onde estão as pessoas lendo Machado de Assis e Guimarães Rosa?

Tenho bode de quem posta foto com legenda em inglês. Que preguiça, onde essas pessoas moram? Será que elas não sabem que o português, apesar de muito difícil, é um dos (senão o) idiomas mais lindos do mundo? Pois quem leu agora sabe.

Não vejo graça em falar “outlet” e “hot dog”, por exemplo. “Queima de estoque” e “cachorro quente” são mais inspiradores. Podemos ser mais íntimos e pedir também o famigerado “dogão”.

Só o português nos proporciona expressões magníficas num leque de possibilidades para serem usadas. “Carai”, “miga”, são algumas delas. O idioma nos permite escrever de forma objetiva, subjetiva, simples, erudita. São muitas opções, e a estética agrada em todas.

Vamos fazer uma forcinha e falar mais o português, essa língua maravilhosa que não pode, e nem vai, morrer.

Curta a página do ‘Acerbo aos Domingos’ no Facebook.

Anúncios
Posted by:HERNANDES

Eu sou um protesto contra a insensibilidade.

2 replies on “Mais português, por favor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s