No Irã, país de maioria muçulmana, só existem os gêneros masculino e feminino. Lá, a homossexualidade é tida como crime. No caso das mulheres, se o “crime” for cometido três vezes, a pena é 100 chibatadas. Na quarta, a mulher é executada. No caso dos homens, a execução é imediata.

Em 2007, numa assembléia da ONU, em Nova York, quando questionado sobre a forma com que o governo iraniano trata mulheres e homossexuais, o então presidente Mahmoud Ahmadinejad afirmou “nós não temos homossexuais no Irã e as mulheres têm liberdade”.

A homossexualidade é combatida no Irã, mas este disse sim à transexualidade, que é tida como doença e passível de cura. Segundo estatísticas, o Irã é o segundo país(atrás apenas da Tailândia) que mais realiza a cirurgia de mudança de sexo no mundo. Dados mostram que existem cerca de 500 mil transexuais no Irã.

O governo encoraja a mudança de sexo, concebendo verba para a cirurgia e depois o tratamento hormonal. Além disso, também é possível o financiamento da cirurgia. Isso é um progresso, mas ao mesmo tempo é uma coisa horrorosa.

Acontece que muitos gays para poder ter um emprego, estudar, serem aceitos pela sociedade e ter uma vida normal, se veem obrigados a trocar de sexo. A mudança de sexo é uma via de mão única, e segundo relatos, muitos dos que a realizam não são transexuais, e muitos deles não sabem o que quer dizer ser “gay” ou “lésbica”. O Irã obriga a troca de sexo, muitos gays são ameaçados de morte pela própria família.

Em outros países, a mudança de sexo é um processo longo e é precedida por psicoterapia, tratamento hormonal, entre outros. O governo do Irã mostra o quanto isto é fácil e não tem uma política oficial que obriga pessoas a se submeterem a esta cirurgia, mas a pressão é muito forte.

Como ser homem e mulher abertamente gay no Irã é algo impossível, muitas pessoas fogem para outros países, como Israel, onde ser gay não é crime e são protegidos pelo governo contra a discriminação, e também para o Canadá, este que é o principal destino dos iranianos.

Após passar por toda esta pressão e fugir para o Canadá, o agora ativista Arsham Parsi é um dos nomes mais conhecidos no mundo pela luta dos direitos LGBT. Ele lançou o projeto Iranian Railroad for Queer Refugees, uma estrada de ferro que serve como caminho de fuga dos gays iranianos e que também os ajuda a conseguir asilo e refúgio.

Neste regime opressor, os gays só têm três alternativas: mudar de sexo sem ser transexual, ser gay em total sigilo ou fugir para outro país deixando para trás família e amigos. Um cenário triste, onde nem parece que estamos no século XXI.

Curta a página do ‘Acerbo aos Domingos’ no Facebook.

Anúncios
Posted by:Hernandes Matias Junior

Eu acordo cedo nos feriados. O vício da rotina não me permite acordar depois das nove, ao mesmo tempo que a TV me bombardeia sem tréguas com a programação da manhã e me causa sonolência, mas não tédio. Tédio é sentimento de pessoas que não têm inspiração, e isso é o que não me falta.

11 replies on “A vida dos gays no Irã

  1. Hernandez Matias, de onde você retirou essa foto? Na foto original aparecem soldados e civis e não se trata do enforcamento de homossexuais mas apenas uma cena mostrando a pena capital sendo aplicada no Irã, portanto não servindo para ilustrar o texto. Primeiro a verdade, princípio que serve para todos!

    Curtir

  2. olá, passei pra corrigir duas coisinhas no seu texto. a primeira é a frase “em outros países, a mudança de sexo não é um processo longo “. acredito que o sentido dela fosse o contrário, em outros países a mudança de sexo é um processo longo. e “descriminação”, nesse caso, escreve-se com i. discriminação, ato de diferenciar. descriminar seria inocentar. sigo o blog há um tempinho, então achei que deveria avisar amigavelmente. desculpe se fui chata 🙂 beijos.

    Curtir

  3. E cada país tem suas leis. E triste mas acho que quem tem que luta são os iranianos.se querem ser livres .pois outro país se metem.poden ser
    problemática pois, a coisa dica mas feia..sobre o Brasil há são protegidos .por leis só foram ter mas posiçÃo pRa quem faz mau.a um gay.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s