Não tenho vergonha de dizer que sou uma pessoa movida a paixões. Tenho paixão por tudo que faço, do contrário, eu deito e durmo. Melhor que estar apaixonado por uma música, um livro ou um filme é estar apaixonado por outro alguém, porque a paixão é o pré-amor, é o sorriso fácil, pensamento longe e uma vontade enorme de ser feliz.

É uma vontade de ver, tocar, abraçar, beijar, e pensar. Quantos horas eu não fiquei pensando na pessoa pela qual estava apaixonado. É um desejo que beira a psicopatia romântica. Tudo o que você faz te lembra a mesma pessoa. Paixão é quando você ouve Björk e uma música de pagode começa a fazer sentido.

Mas preciso confessar. Eu, que me apaixonei de verdade apenas duas vezes e não fui muito longe quanto a isso, tenho que desapaixonar-se é tão lindo quanto apaixonar-se, principalmente quando essa paixão não é correspondida, o que é muito normal.

Porque apaixonar-se é esquecer-se de si e pensar no outro. O dia inteiro. É perder seu tempo visitando o Twitter, Facebook, Instagram, Tumblr e em casos extremos até o antigo MySpace. É uma dor que alimenta, um ataque cardíaco a cada foto em que o crush aparece com ficantes em potencial, enquanto você está na internet. Apaixonar-se é sofrer quando não é respondido no WhatsApp. A dor de ver os dois V’s em azul e nenhuma resposta obtida. O vácuo é um amigo íntimo.

Desapaixonar-se é voltar a cuidar de si, um olhar interior. É olhar no espelho e se gostar. Se arrumar, não para chamar a atenção de alguém, e sim para se sentir bem. É ouvir uma música e não se lembrar de uma pessoa que, não por culpa dela, não te correspondeu. É chorar por um filme por ele ser emocionante, e não por você estar psicologicamente abalado por uma paixão que não é aquilo que você queria que fosse. É se sentir tocado por um livro sem influências externas.

Porque não há nada melhor do que ver uma pessoa pela qual você sofreu e não sentir mais nada. Nem amor, nem ódio. Nada. Apenas uma lembrança de paixões passadas, que fizeram de você o que você é hoje. Mas agora você está focado em seus objetivos e em pessoas que estão interessadas por aquilo que você pensa e fala. Sofrer por amor só é bom quando é uma música da Lykke Li. A volta da razão merece uma festa de quatro dias.

Desapaixone-se. A paixão é um elemento que nos prepara para a arte de amar. Se ela não é saudável, pegue um táxi e caia fora. Pode ser um Uber. Paixão não é amor. Amor é tudo que não é paixão.

Anúncios
Posted by:HERNANDES

Eu sou um protesto contra a insensibilidade.

5 replies on “Desapaixone-se

  1. E é isso que tenho sentido falta. De me olhar no espelho e sentir-me feliz, de me arrumar de uma maneira que gosto, pensando exclusivamente em mim.

    Faz tempo que não me sinto feliz sozinho, ou que penso naquele “amor” como boas lembranças.

    Espero que o meu desapaixonar possa ser tão bom quanto o apaixonar foi.

    Belo texto!

    Curtir

    1. Marco, amor é bom. Na verdade, é ótimo. Desapaixonar-se só é mais lindo quando o amor não é recíproco. Eu meio que entendo como você se sente, às vezes me sinto bem infeliz sozinho. Acho que a gente tem essa necessidade de desejar e ser desejado. É bom pro ego e também pra alma.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s