Durante um horário vago na faculdade, onde todos do nosso grupo estavam reunidos conversando, uma colega, evangélica e na qual gosto muito, trouxe a notícia de que um conhecido, gay(e bem afeminado) até então, se “converteu” e agora está frequentando os cultos da igreja. Soou uma coisa celestial a notícia que acabara de sair da boca dela, e ela ainda deu um adjetivo para esta atitude dele: “lindo”.

Não pude me conter(acho que às vezes meus colegas geram esses assuntos para ouvir o que eu tenho a dizer) e já soltei uma pergunta: lindo pra quem? Uma pessoa que é gay negar a si mesmo para se enquadrar naquilo que a maioria acha certo está longe de ser lindo. Talvez seja lindo para quem é religioso e hétero. Pra quem é gay, é triste. Toda essa questão religiosa me soa como “você pode ser gay, desde que não fique com homens”. Você pode ser, mas não pode “praticar”. Ou seja, se você é gay e resolve se “converter”, (até hoje me pergunto o quê isso significa)terá como consequência a solidão.

A heterossexualidade é tão imposta a nós que nos sentimos culpados por sermos diferentes da maioria. Lembro que a primeira vez que eu beijei um menino, na qual eu gosto até hoje, eu vomitei litros quando cheguei em casa. Pra mim, aquilo era errado e sujo, e me senti culpado por um longo tempo, mesmo sem ter feito absolutamente nada de errado, muito pelo contrário. Beijei uma pessoa que eu gosto.

Acho que essa ideia de que homossexualidade é pecado é um dos motivos por eu não acreditar na Bíblia. Às vezes acho que cada religião a interpreta de uma forma que a convêm.

Pecado pra mim é uma escolha. Você escolhe roubar, você escolhe matar. Ninguém escolhe ser gay, assim como ninguém escolhe ser hétero. Partindo desse pressuposto, não mereço ser julgado pecador por algo que nasceu comigo. Quem sabe não foi Deus quem me fez assim?

Eu tenho um problema com religiões e não me sinto acolhido por nenhuma delas. Na teoria, “amar ao próximo como a ti mesmo”, é uma coisa maravilhosa. Na prática, é mais ou menos assim: “amar ao próximo se ele seguir a mesma religião que você.”

 

Anúncios
Posted by:Hernandes Matias Junior

Eu acordo cedo nos feriados. O vício da rotina não me permite acordar depois das nove, ao mesmo tempo que a TV me bombardeia sem tréguas com a programação da manhã e me causa sonolência, mas não tédio. Tédio é sentimento de pessoas que não têm inspiração, e isso é o que não me falta.

21 replies on “Que lindo, ele se converteu

  1. Voltando ao tema desse post, após a bosteada fenomenal do nosso companheiro Carlos, o qual, obviamente, não ficou feliz em defecar merda pelo orifício errado em um só site.
    É realmente terrível essa mentalidade religiosa, mas você já leu ou ouvir sobre o espiritismo? Não que eu super goste dessa religião, pois, para mim, ela tem defeitos, mas eu cresci com ela, e, com certeza, a minha mente mais liberal foi devida, em parte, pelos ensinamentos dela. Ela sempre valorizou, como você disse, as suas escolhas, e lá não existe o inferno, e sim o umbral, onde a pessoa sempre terá a chance de se reergue. E a reencarnação seria como uma “prova” daquilo que você aprendeu no plano espiritual. Mas, nem sempre a reencarnação tem tal finalidade, pois depende de algumas coisas, que não vale a pena entrar no mérito agora.
    Enfim, como eu disse, ela tem seus defeitos, mas o legal dela é que ela te permite o questionamento sobre ela, pois a dúvida gera reflexas e evolução.

    Curtir

      1. Sempre que pensamos sobre espiritismo temos que levar em conta a mentalidade da época (o que vale a comparar com cultura), o efeito dos estímulos ambientais em nós, e também o tal do “livre-arbítrio” (o que vale comparar com seu processo de subjetivação e julgamento). Esses três elementos se mesclam de tal modo a incidir nas suas ações, mas o que se é mais valorizado, no espiritismo, é o último elemento. Logo, dado que o espírito é imortal e ele passou por diversas épocas, suas escolhas em outra vida interferirão nos desafios com o qual se depara nessa vida. Isso também explica porque pessoas nascem com mais facilidades que as outras, podendo ser um fator genético, familiar, financeiro, etc. Depende muito de caso para caso, sendo muito relativizado.
        Até porque, quando morremos, saímos do umbral para o plano espiritual, onde vamos estudar evoluir, compreender o que houve, isto é, como se saiu na “prova”, e nos preparar de novo para outra “prova”, mas eles deixam claro que se não quiser enfrentar certas coisas ou não estiver preparado, está tudo bem, o importante é sua evolução espiritual (algo que não se dá para esconder, então não dá para atuar ou manipular os outros lá). Mas, o ser humano sempre tem essa vontade de reparar o dano causado no passado.
        Aí, quando nascemos, perdemos as memórias passadas, mas temos certas propensões em latência, que podem ou não serem desenvolvidas pelo ambiente. A gente perde a memória para ter uma chance do “zero”, por assim dizer, para não ficar martelando a culpa ou ódio ou medo com o mesmo peso da vida passada. Essa é a explicação que eles dão pelas as diferenças sociais, mas isso não significa que devemos aceitar o mundo tal como ele é, ou ficar alienado, porque foi escolha de fulano, aceitar esse desafio. Não, de jeito nenhum, até porque temos que nos ajudar, pois em grupo conseguimos ir muito mais longe.
        Enfim, é só um pouco do que eu entendo, eu não me aprofundei muito nesses estudos, porque, como é muito relativo de caso para caso, as formas de abordagens são diferentes, mas basicamente, na essência, é algo por aí.
        O que eles falam também que a busca por conhecimento é muito importante, pois eles te dão uma base mais sólida de atuação sobre o mundo, além de se autodesenvolver. Ser humano é algo muito difícil, pois o crescimento espiritual é realmente um processo árduo e demorado.
        Eu não estou querendo te converter, nem nada parecido. Apenas, compartilhando conhecimento. Até porque já me decepcionei com espiritismo e outras religiões também =/
        É parte do processo, os questionamentos, as dúvidas, as decepções, para que haja evolução. Mas, uma das minhas decepções é que é tão parecido com a realidade que nem faz tanto sentido tê-la. Mas, conhecimento é conhecimento, e sempre gera reflexões, isso é o que importa.
        Desculpe pelo texto longo.

        Curtir

  2. Esse mimimi dos homossexuais é uma piada.
    Uma piada tbm são os argumentos dos tais,falando que existe amor entre 2 mulheres ou entre 2 homens…balela.
    Existe sim o amor entre 2 mulheres…O amor de mãe para com a filha,o amor de uma amiga para com a outra,o amor de uma vó para com sua neta,tia para com a sobrinha de uma irmã para com a outra irmã.
    Isso se aplica aos homens tbm…
    Agora,dizer que existe amor entre 2 homens ou 2 mulheres,a ponto de terem relações sexuais? Que foda isso.
    Que tipo de amor é esse,que um homem tem que literalmente se sujar de escremento (bosta),pra fazer “amor” com o “amor” dele?
    Por essa dita cuja causa que vcs (Gays) pregam que a humanidade ta indo pro ralo,pro abismo.
    Prestem bem atenção:

    Extraído do Northern Colorado Gazette:

    Usando as mesmas táticas usadas por ativistas dos “direitos gays”, pedófilos começaram a procurar status semelhante, argumentando que seu desejo por crianças é uma orientação sexual, nada diferente de heterossexuais ou homossexuais.

    Os críticos do estilo de vida homossexual há muito tempo alegam que, uma vez que se tornou aceitável identificar a homossexualidade como simplesmente um “estilo de vida alternativo” ou orientação sexual, logicamente nada está fora dos limites.

    Advogados da causa gay, se sentem ofendidos com tal posição, insistindo que isso nunca iria acontecer. No entanto, os psiquiatras estão começando a defender a redefinição da pedofilia, da mesma forma que a homossexualidade foi redefinida há vários anos. Em 1973, a Associação Americana de Psiquiatria desclassificou a homossexualidade de sua lista de doenças mentais. Um grupo de psiquiatras da B4U-Act, realizou recentemente um simpósio propondo uma nova definição de pedofilia no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos de Saúde Mental da APA.

    A B4U-Act chama pedófilos de “pessoas que sentem atração por pequenas pessoas”. O site da organização afirma que seu propósito é “ajudar os profissionais de saúde mental aprenderem mais sobre a atração por menores e considerar os efeitos dos estereótipos, o estigma e o medo.”

    Em 1998, a APA emitiu um relatório afirmando que “o potencial negativo do sexo adulto com crianças foi “exagerado” e que “a grande maioria dos homens e mulheres não relataram nenhum efeito sexual negativo após experiências de abuso sexual na infância.”

    A Pedofilia já foi protegida pelo Governo Federal. A Lei de Prevenção de Crimes de Ódio, lista a pedofilia como “orientação sexual”.

    Os republicanos tentaram adicionar uma emenda especificando que “a pedofilia não é uma orientação”, no entanto, a alteração foi rejeitada pelos democratas. Alcee Hastings, afirmou que todos os estilos de vida sexuais alternativos devem ser protegidos nos termos da lei:

    “Este projeto aborda a nossa determinação para acabar com a violência baseada no preconceito e garantir que todos os americanos, independentemente de raça, cor, religião, nacionalidade, sexo, orientação sexual, identidade de gênero ou deficiência ou todos esses ”fetiches e “ismos” que foram apresentadas, não precisem viver com medo por causa de quem eles são. Exorto os meus colegas a votar a favor dessa regra.”

    A Casa Branca elogiou o projeto, dizendo: “No fundo, este projeto não é apenas sobre as nossas leis, é sobre quem somos como povo. É sobre se nós valorizamos um ao outro. Queremos abraçar nossas diferenças em vez de permitir que eles se tornem uma fonte de animosidades”.

    No início deste ano, dois psicólogos do Canadá declararam que a pedofilia é uma orientação sexual, assim como a homossexualidade ou a heterossexualidade. Van Gijseghem, psicólogo e professor aposentado da Universidade de Montreal, disse aos membros do Parlamento:

    “Pedófilos não são simplesmente pessoas que cometem um pequeno delito de vez em quando, mas sim, estão ligados com o que é equivalente a uma orientação sexual, assim como um outro indivíduo pode ser ligado à heterossexualidade ou mesmo a homossexualidade.
    Verdadeiros pedófilos têm uma preferência exclusiva por crianças, o que é o mesmo que ter uma orientação sexual. Você não pode mudar a orientação sexual da pessoa. Ele pode, no entanto, permanecer abstinente.”

    Quando perguntado se ele estava comparando os pedófilos com homossexuais, Van Gijseghem respondeu:

    “Se, por exemplo, você estava vivendo em uma sociedade onde a heterossexualidade é proibida e lhe foi dito que você deveria fazer terapia para mudar sua orientação sexual, você provavelmente diria que isso é uma loucura. Em outras palavras, você não iria aceitar. Eu uso essa analogia para dizer que, sim, realmente, os pedófilos não precisam mudar sua orientação sexual. ”

    Dr. Quinsey, professor emérito de psicologia na Universidade de Queen em Kingston, Ontário, concordou com Van Gijseghem. Quinsey disse que pedófilos preferem crianças e “Não há evidências de que esse tipo de preferências pode ser alterada por meio de tratamento ou com qualquer outra coisa.”

    Em julho de 2010, a Publicação Harvard de Saúde disse: “A pedofilia é uma orientação sexual e não deve mudar. O tratamento tem por objetivo fazer alguém resistir a seus impulsos sexuais.”

    Linda Harvey, da Missão América, disse que o impulso de pedófilos para ter igualdade de direitos se tornou cada vez mais comum nos grupos LGBT:

    “É tudo parte de um plano para introduzir o sexo para crianças em idades cada vez mais jovens; para convencê-los de que a amizade normal é realmente uma atração sexual.”

    Milton Diamond, professor da Universidade do Havaí e diretor do Centro do Pacífico para Sexo e Sociedade, afirmou que a pornografia infantil poderia ser benéfica para a sociedade porque “criminosos sexuais potenciais usam a pornografia infantil como um substituto para o sexo contra as crianças”. Diamond é um professor distinto do Instituto para o Estudo Avançado da Sexualidade Humana, em San Francisco. O IASHS defendeu abertamente a revogação da proibição contra os homossexuais no serviço militar.

    As listas do IASHS, em seu site, citam “direitos sexuais básicos”, que incluem “o direito de se envolver em atos ou atividades de qualquer natureza sexual, desde que não envolvam atos não consensuais, a violência, constrangimento, coação ou fraude”. Outro direito é “ser livre de perseguições, condenação, discriminação ou intervenção social no comportamento sexual privado” e “a liberdade de qualquer pensamento sexual, fantasia ou desejo.” A organização também diz que “ninguém deve estar em desvantagem por causa de idade.”

    [Nota: o site também diz em sua declaração de missão : O Instituto dedica-se à crença de que os direitos sexuais são direitos humanos básicos e é conveniente ajudar os alunos a compreenderem que muitas pessoas foram feridas, falsamente presas e perseguidas por causa das leis e desinformação sobre o papel e o lugar da sexualidade e suas muitas expressões por indivíduos na nossa sociedade.]

    Leis que protegem as crianças de criminosos sexuais foram contestadas em vários estados, incluindo Califórnia, Geórgia e Iowa. Os criminosos sexuais afirmam que as leis os proíbem de viver perto de escolas ou parques e que são injustas porque penalizam suas vidas.

    Agora vem a parte mais assustadora: Este artigo do Diário Greeley foi originalmente publicado em 2011. Mas agora, não há realmente um argumento constitucional que pode ser feito em seu favor. Como já dissemos , a decisão sobre casamento do mesmo sexo tem muitas conseqüências não intencionais.

    Por favor, orem por nossa nação…

    Curtir

    1. Cara.. Quanta merda.. Dessa vez, foi muita merda… Foi tipo litros de merdas jogado em um ventilador gigante, e pelo jeito você estava lá! Estava lá para comer, e bostear aqui. Incrível… Deve ter lido essa matéria sem a devida investigação dessa proposta comparativa sem cabimento, e internalizado como verdade conveniente, ou seja, não procurou a respeito, e acredita que seja verdade, porque é de outro país. Mas, saiba que outros países falam merda, principalmente, os EUA.
      Eu sou estudante de psicologia, e pode ter certeza de que tem algo muito de errado nisso. Porque, ninguém que estudou psicologia de verdade, concordaria com tal barbaridade que é a pedofilia.
      O desenvolvimento infantil e do adolescente não está completo, e eles não têm estruturas psíquicas para consentir com um ato sexual com um adulto, como o faria um gay adulto, então, por favor, bosteie menos na internet, porque, dessa vez, você foi longe com um argumento tão baixo desse.
      Uma criança e/ou adolescente são coagidos por adultos perversos, os quais estes têm a malícia, a experiência, a perversidade desenvolvida por um ambiente familiar desestruturado, sendo um distúrbio grave de objetificação de um ser indefeso para uso de cunho sexual. Não tem nada de amor por pessoas pequenas.
      Sério, dessa vez, sua bosteada foi longe que me deu até ânsia.

      Curtir

  3. Boa noite, perdi ou melhor passei um bom tempo lendo os comentários acima e achei bem interessante, do ponto de vista critico, o que falta na humanidade e saber dividir as coisas, e colocar cada tema em seu devido lugar, enquanto isso não acontecer o mundo será sempre essa zona de guerra, seja ela física ou mesmo psicológica, ao meu ver duas coisas precisava de uma vez por todas serem separadas: a religião e a sexualidade. do ponto de vista de um homem de bem e hétero sexual que sou, acho que um ser humano não deveria receber reconhecimento nem pra mais e nem pra menos usando como base a sua sexualidade, o que cada um quer fazer com o seu corpo e alma (isso mesmo alma, pois quando você se entrega a um amor isso envolve seu estado de espirito ou seja sua alma) diz respeito a apenas ele, e sim pelo que ele oferece a sociedade.
    Agora voltando para a religião, nós seguimos o cristianismo, logo nossa cartilha ou nosso manual técnico é a bíblia sagrada, a mesma condena o homossexualismo, sendo assim todo cristão não é a favor do mesmo, o que não nos da o direito de perseguir, matar, descriminar ou qualquer coisa do gênero quem optar pela homossexualidade.
    Sendo assim, o que falta apenas é dividir as coisas, um cristão não pode ser homossexual e seguir o cristianismo, da mesma maneira o homossexual não pode seguir o cristianismo e ser homossexual (biblicamente falando), é a mesma coisa um clube de aviadores não aceitar que alguém que não possua uma avião ser sócio e chegar um com uma bicicleta e querer ser aceito, se o manual não permite.
    Quando a humanidade fizer essa divisão, o respeito for mutuo, irá acabar com essas brigas, pessoas de bem e valiosas para a sociedade não mais serão perseguidas, maltratadas e mortas por se relacionarem com pessoas do mesmo sexo, pois isso diz respeito a apenas elas, e os que seguem o cristianismo não mais serão tratados como monstros que querem empurrar goela abaixo da sociedade valores empregados apenas aqueles que querem seguir a filosofia crista…. pena isso ser apenas uma utopia, mas seria maravilhoso.

    Curtir

  4. Não pude deixar de ler o texto, entender seu ponto.
    Não tenho a pretensão de dizer que entendo o que é negar a si mesmo em relação a ser gay. Imagino que seja algo muito, mas muito, mas muito sofrido de se fazer.

    Minha questão com o seu raciocínio é que biblicamente pecado não é o mesmo que ato pecaminoso. Você nasce pecador, eu nasci pecador, todos nascemos pecadores.
    A questão não é que o homossexual tem que negar a si mesmo. Eu tenho que negar a mim mesmo, todos tem que negar a si mesmos.
    O pecado está na nossa natureza, assim – como o consenso geral parece acreditar – como a homossexualidade está na natureza do homossexual.
    Por exemplo: Como o próprio Cristo disse, o pecado do adultério por exemplo, não começa quando você beija ou transa com o parceiro(a) de alguém, mas a partir do momento que você olha para a pessoa com a intenção. E apenas olhar com a intenção de adulterar com alguém que consideremos atraente está ou não está na natureza de todos nós, héteros ou gays?

    Eu entendo o ponto dela quando ela diz que é lindo, por que é um milagre uma pessoa se converter – termo que você disse no texto não entender bem o que significa. Converter-se é conseguir esvaziar-se de si mesmo e deixar que a pessoa de Cristo – que nasceu como um homem sem a nossa natureza pecaminosa, mas propenso a se tornar pecador – tome para si todos os seus defeitos, sentimento de culpa e dor, e deixe você apenas com a salvação e a graça.

    Embora eu imagine que seja um processo muito mais tenso para o homossexual, não é só o homossexual convertido que passa pelo processo de negar a si mesmo. A teologia simplista do “pecar é fazer coisas erradas” está longe da realidade.
    Pecado na Bíblia é se declarar independente de Deus. O pecado de Eva não estava unicamente em comer da fruta, mas em comer da fruta por que queria conhecer o bem e o mal e ser igual – e consequentemente, independente – de Deus.

    Negar-se a si mesmo acaba se tornando um processo natural quando todos os dias você pára e medita no fato de que Jesus Cristo fez por você VÁRIOS sacrifícios (negar-se a si mesmo foi o primeiro deles) muito, mas muito maiores do que qualquer sacrifício que possamos fazer.

    E uma coisa é certa: existem pessoas que se “convertem” por pressão social ou para serem aceitas? Sim, infelizmente. Mas seria arbitrário demais simplesmente achar que toda conversão é por isso.
    E é aí que eu venho com algo pessoal que talvez não entenda. Pessoalmente, tenho minha experiências, meus vícios, coisas que são parte de quem eu sou e que vou escolhendo aos poucos negar para viver com Cristo e posso dizer com toda certeza, que não há abnegação que não valha a pena diante de uma das melhores bençãos de ser convertido: aceitar a si mesmo como é, AMAR-SE como é e ainda assim não precisar ser escravo da própria natureza. Parece paradoxal, mas é verdade.

    E é JUSTAMENTE isso que me possibilita amar ao próximo – hétero, homossexual convertido OU NÃO, gente que discorda de mim, gente que concorda comigo, transexual, gente boa, gente justa, gente má, gente criminosa. Todos esses estão no pacote do “amar ao próximo” daquele que realmente quer seguir os mandamentos de Deus.

    Grande abraço e parabéns pelo blog 🙂

    Curtir

      1. Besteira em que sentido?
        Só expus o que a Bíblia diz a respeito do conceito de pecado e natureza humana – já que a Bíblia é o livro base para o cristianismo que é a religião da garota referida no texto – e como eu, que sou cristão, pessoalmente me relaciono com ela.

        Fiquei curioso para saber o que você entende como besteira.

        Curtir

    1. Jonathas, obrigado por gostar do blog e também por ter compreendido o que eu quis dizer no texto. Não consigo ver algo de ruim em eu gostar de uma pessoa do mesmo sexo que eu. Muito pelo contrário. Acho que se existe um sentimento que precisa ser lembrado nesses casos, é o amor. Preciso confessar, eu amo um cara. Gosto mesmo dele, e isso me soa puro. Não consigo, de verdade, ver isso tudo de errado que a maioria fala.

      Curtir

      1. Não precisa agradecer. Compreensão (e consequentemente empatia) é algo que, embora eu nem sempre consiga alcançar, acredito que é uma coisa essencial pra convivência e uma grande maioria das pessoas parece desconhecer o que significa.

        Bem, aí entraríamos numa questão bem mais profunda e complicada… O conceito de amor, o conceito de relacionamento, o conceito de gostar, o conceito inclusive de casamento e de sexualidade (que na bíblia são conceitos que não se separam).
        Nossos pontos de vista são construídos a partir de pressupostos. Minha religião me ensinou que para compreender o que a Bíblia quer dizer, não basta lê-la. É um livro muito antigo, a gente tem que entender por quem e para quem ela foi escrita – infelizmente poucos fazem isso e acabam criando problemas sérios como intolerância e violência.
        Os conceitos de amor na Bíblia são bem diferentes do que os que a gente foi criado a perceber. Fique tranquilo, não vou escrever textão de teologia, mas basta dizer por exemplo que amor na bíblia não é sentimento, é mandamento.
        É meio difícil separar amar de gostar, mas a Bíblia manda amar os inimigos, não gostar deles. Amar no conceito bíblico tem muito mais a ver com decisão, mandamento, escolhas e atitudes do que com o sentimento em si…

        Mas enfim, talvez não seja seu caso, mas caso fique curioso a respeito disso, tem meu blog que falo sobre bíblia e cristianismo e também sobre sociedade, cultura e sexualidade, que coloco esses contrapontos entre o que a Bíblia diz e o que nós entendemos. CASO fique curioso: http://jesusloverock.blogspot.com.br/

        Curtir

  5. Então está tudo bem uma pessoa decidir se declarar gay e viver como tal a qualquer momento de sua vida, mas se esta mesma pessoa em um outro momento por razões pessoais decide se declarar heterossexual ela está condenada à solidão e tristeza eterna? Que tipo de liberdade é essa que você defende?

    Ao menos no fim você declarou a razão do seu pensamento…
    “Eu tenho um problema com religiões.”

    Isso afeta o seu discernimento a ponto de você se tornar um intolerante e preconceituoso.
    Exatamente.
    Você é um preconceituoso! Você é quem está discriminando!
    Não conhece a pessoa a ponto de compreender as razões da sua decisão mas por conta própria decide que essa pessoa tomou a decisão errada.

    Curtir

  6. você está tentando suprimir a opinião da moça pelo ponto de vista dela, de liberdade de expressão, ela não disse nada preconceituoso, se alguém negar para si o que é pela opinião da maioria, assim também você deixaria de ser gay, ele não mudou simplesmente por isso, de gay para hétero para agradar pessoas, e sim mudou para cristão para agradar a Deus. No caso de amar o próximo como a si, não são todos que ponham isso em prática, pois sou cristão, amo meu próximo que é gay, não concordo com o que ele faz, eu o quero bem, trato bem, com, respeito e respeito a opinião dele, mas não deixo de amá-lo, e isso é incompatível com homofobia, então tarjar Cristão ( com ”C” maiúsculo de homofóbico é equivocado. Abraç,o fique com Deus

    Curtir

      1. corrigindo meu último comentário esqueci de por cristão em maiúsculo

        o rapaz deixou de ser gay sim, você não acredita na mudança, que ele poderá ser feliz de agora em diante com uma mulher, mas agora seguindo sua linha de raciocínio, se fosse você que dissesse: ”que lindo, ele se assumiu” e a moça dissesse: ”lindo pra quem?” não demoraria muito para ela ser tarjada de homofóbica. Cada um fique com sua opinião sem desrespeitar a do outro

        Curtir

          1. aham, e quem nasce pedófilo morre pedófilo também, isso são apenas desejos sexuais anti naturais, que podem ser mudados se realmente quiser, se você não consegue mudar, não pense que todos homossexuais são como você, muitos tentam e conseguem vencer esse desejo.

            Curtir

      2. vocês ja pararam para pensar que nem todo heterosexual é preconceituoso (e egoista) desse jeito que vocês estão falando?

        sério mesmo, uma coisa que me deixa triste, é ver como as pessoas tem uma visão limitada, não estou falando de homens, mulheres, hetero ou homosexuais, estou falando de pessoas, hoje em dia as pessoas só vem o seu próprio lado, enxergam tudo a sua maneira e a diferente disso é simplesmente errada (me pareceu justamente isso um dos pontos centrais do texto), empatia zero mesmo…

        não estou negando o preconceito que existe hoje (incluindo em parte desse preconceito o homosexualismo), mas esse tipo de argumento, é infelizmente, também preconceituoso, enquanto reclama de preconceito…

        ponto importante, que na hora que li vi o quanto isso estaria preconceituoso em relação a heterosexuais, mas eu realmente acredito que também se aplique contra evangélicos, que apesar de ser onde é mais comum o preconceito, ainda é apenas em uma parcela, que acredito não representar nem a metade…

        Curtir

        1. Não é “homossexualismo”, e sim “homossexualidade”. Onde é que existe preconceito contra heterossexuais? É piada isso? Desde quando héteros são mortos por serem héteros? Eles perdem empregos por serem héteros? Apanham na rua? Que bom que você falou em empatia, porque é isso mesmo que te falta. Num mundo onde gays são mortos freneticamente por causa de suas condições sexuais você vir falando da opressão que os héteros sofrem, sinceramente é algo digno de um boçal.

          Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s