Entre os dias 2 de abril e 14 de junho de 1982 Argentina e Inglaterra protagonizaram um sangrento conflito armado pela soberania sobre os arquipélagos austrais das Malvinas. O episódio ficou conhecido por “Guerra das Malvinas” e terminou com vitória inglesa e um saldo muito negativo para os sul-americanos: morte de mais de 640 soldados argentinos e outros 1068 feridos.

Quatro anos depois, Argentina e Inglaterra voltaram a se encontrar em uma batalha, mas desta vez sem armas, aviões ou explosivos. Agora, a decisão era válida pelas quartas de final da Copa do Mundo de 1986.

Assim que foi definido a Inglaterra como adversária nas quartas, os argentinos se prepararam para a vingança. No dia do jogo, era possível ver luzes de velas em cada casa de Buenos Aires e pessoas pedindo pela revanche aos deuses.

No dia do jogo, em 22 de junho de 1986, em um Estádio Azteca abarrotado com 114.580, o clima era de total tensão e muito equilíbrio. Apesar do bom futebol e ambas as equipes, o primeiro tempo terminou sem gols.

Já no segundo, Diego Armando Maradona, logo aos 6 minutos, fez o gol de mão que entrou para a história do futebol como “La mano de Dios”. Quatro minutos depois, Maradona arrancou do meio-campo e driblou não um, nem dois, mas seis jogadores ingleses para ampliar para 2 x 0 a vantagem Argentina e explodir o Azteca. Lineker ainda descontaria para a Inglaterra, mas a vitória argentina já estava decretada e a vingança concluída com “a mão de Deus, e o pé do capeta”: 2 x 1.

Anúncios
Posted by:HERNANDES

Eu sou um protesto contra a insensibilidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s