MC Melody, a funkeira de 8 anos que aparece em vídeos usando roupas justas e cantando músicas que não são próprias para a sua idade, está tendo sua “sexualização” investigada pelo Ministério Público de São Paulo e recebendo diversas criticas por parte da sociedade. É caretice? É preconceito contra o funk? machismo?

Vale lembrar que não é de hoje que ocorre essa erotização infantil. Quem não se lembra do É o Tchan e da Companhia do Pagode que colocaram meninas para requebrar com roupas curtas e fazendo movimentos sensuais, como a dança da boquinha da garrafa, simulando ato sexual? Mas seja naquela época, ou hoje, toda essa sexualização das crianças está errada.

Não é caretice alguma a investigação por parte do Ministério Público de São Paulo. Existe uma criança se portando de forma adulta e existe um adulto ganhando dinheiro por trás dela. Se isso configura exploração? Pode ser que sim, pois MC Melody está perdendo uma parte importantíssima da sua vida e não tem consciência disso.

Mas por que ocorreu todo este choque apenas com o funk? Por que as pessoas não se chocaram nos anos 90 com meninas dançando em cima de uma garrafa? Por que não se chocaram com crianças, meninos e meninas, dançando letras de duplo sentido?

Existe um preconceito contra o funk, sim. As pessoas não conseguem aceitar o funk como um movimento cultural, como uma forma de expressão daquelas pessoas que moram em comunidades e estão simplesmente isoladas do resto do mundo, com o mínimo de acesso à informação. Não que seja correto crianças entoando cantos eróticos no funk, muito pelo contrário, mas se vai ser tomada alguma medida, que seja igual para o axé, o sertanejo, e o arrocha também.

Uma coisa que chama a atenção, é o fato do verso mais polêmico da MC Melody ser “Para todas as recalcadas, aí vai minha resposta, se é bonito ou se é feio, mas é foda ser gostosa”, enquanto MC Brinquedo entoa a explícita “Tu vai lamber, tu vai dar beijo, tu vai mamar com essa boquinha de aparelho”. MC Pedrinho também aparece com “Como é bom transar com a puta profissional. Vem foder no clima quente, no calor de 30 graus”. MC Pikachu vai muito além: “Estava na rua, fumando um baseado, chegou a novinha e pediu para dar um trago (…) Dá a boceta para mim, o cu e fuma o beck todo”.

Enquanto MC Melody canta versos sem palavrões ou referência ao sexo e é bombardeada com críticas, MC Brinquedo, Pedrinho e Pikachu são poupados. Este fato leva à discussão de gênero: a sexualização dos meninos é permitida e a das meninas não?

Todos esses MCs-mirins são crianças e não sabem o que estão fazendo. No clipe de ‘Quarteto Diferenciado’, os MCs Brinquedo e Pikachu são mostrados como celebridades ao lado de Bin Laden e 2K. Os quatro causam histeria e têm suas músicas cantadas pela legião de fãs que os espera em frente a uma casa. Porém, dentro da limousine branca em que são transportados, a coisa muda: enquanto os dois últimos têm à disposição garrafas de vodka, os primeiros tomam suco em caixinha e Toddynho, respectivamente. Além do mais, Brinquedo, que é famoso pelas letras pornográficas, disse ser virgem em entrevista ao CQC.

Novamente, a sexualização das crianças, seja no funk, axé, sertanejo, está errada. Cabe aos pais filtrar o que é ou não adequado para a idade do seu filho. Estamos vivendo em uma sociedade sem etapas. Antes havia a infância, a juventude, a fase adulta e a velhice. Hoje, todos são jovens.

Curta a página do ‘Acerbo aos Domingos’ no Facebook.

Anúncios
Posted by:HERNANDES

Eu sou um protesto contra a insensibilidade.

2 replies on “A sexualização das crianças

  1. Nossa, eu sempre detestei funk, evito ao máximo ouvir, e só estou vendo a gravidade das letras, porque você mostrou. Eu realmente me alineio dessa realidade por ter ânsia dessa cultura de bosta, em que se vende sexo torto a direito.
    Os adultos de hoje simplesmente não têm mais vergonha! Eles viveram tanto tempo reprimido em outras épocas, que agora tocaram o foda-se e escandalizaram tudo! Nem preciso mencionar como a mídia e os meios de comunicação se aproveitaram dessa direção, que os adultos estavam indo, para lucrarem o cu de grana.
    Simplesmente nojento e repugnante!
    É importante ressaltar que sem o sentimento de vergonha, o adulto não separa o seu mundo, tampouco resguardar as crianças dos segredos do mundo adulto, deixando a amostra para as crianças verem e imitarem.
    E sabe o que mais me enoja? É que, além de ser culpa dessa mentalidade porca, os adultos são burros demais para perceberem que a culpa é deles, e acabam inativando esse defeito das crianças. Como se elas realmente soubessem e tivessem plena consciência do que fazem. Como se elas já nasceram para ser puto ou puta.
    É incrível essa contradição social, incentivam a sexualidade, mas chamam as mulheres de puta e condenam essas crianças, tanto meninos, quanto meninas, por crescerem assim. Sério? Se você ensina a criança a rebola e falar putaria, como se pode esperar que ela saiba o que é ética, moral ou educação?
    PQP, isso é o tema que mais me enoja.

    Curtir

    1. Aliás, eu detesto todo o gênero de música que não tem nada a agregar, como sertanojo, axé, forró, essas merdinhas. Uma coisa é criar, de vez em quando, uma música descontraída para relaxar, sendo direcionada ao público adulto. Outra, é só ter esse lixo em todos os estilos músicas, sem nunca apresentar algo de novo.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s