Quando um artista começa sua obra, seu grande desafio é saber a hora de parar. Sempre haverá alguma coisa a se melhorar, mas tanto melhoramento pode estragar a peça. Quando alguém consegue a ascensão muito rápido, tende-se a almejar cada vez mais, mas vale a pena arriscar tudo quando já se tem o suficiente?

No começo dos anos 80, Eike Batista abandonou o curso de engenharia na Alemanha, pegou U$500 mil emprestado com dois amigos joalheiros e partiu rumo ao garimpo da Amazônia. A ideia era promissora: comprar ouro no Amazonas e revender nos estados do Sudeste. E deu certo. Em pouco tempo, os U$500 mil se tornaram U$6 milhões, e depois se tornaram U$1 milhão. Por mês.

Eike ainda não estava satisfeito em receber 3 milhões de reais por mês. Investiu mais, comprou mais máquinas, mais minas, se tornou sócio de empresas de extração e com 40 anos chegou ao primeiro U$1 bilhão.

No começo dos anos 2000, Eike trocou a extração de ouro pela extração de minério de ferro. Em 2005 fundou a mineradora MMX. Pouco tempo depois vendeu uma fatia da mineradora para a Anglo-American por U$5,5 bilhões. A Forbes tinha divulgado a lista dos mais ricos do mundo meses antes da transação e o brasileiro melhor colocado na lista tinha sua fortuna estimada em U$6 bilhões. Ou seja, Eike já era o homem mais rico do Brasil.

Eike passou a ser visto pelos investidores como uma mina de ouro. Com todo apoio, foi colocar em prática sua ideia mais ambiciosa: fundar a OGX, uma concorrente da Petrobras.

Naquele momento, Eike tinha a MMX e a OGX, concorrentes da Vale e da Petrobras, mesmo que essas fossem gigantescas se comparadas as empresas X. Mas o mineiro com alma carioca tinha um plano bem maior: criar um sistema de empresas onde uma fosse alimentando a outra.

A MMX precisava escoar seu ouro para algum porto, então por que não ser dono de uma empresa que constrói portos? Daí surgiu a LLX. A mineradora, a petroleira e a construtora de portos necessitavam de energia para funcionar, então por que não ser dono de uma companhia elétrica? Eike fundou a MPX que faria as usinas que alimentariam as minas da MMX, os portos da LLX e as instalações da OGX. Eike ainda fundaria outra empresa, a CCX, companhia de mineração de carvão dedicada a fornecer combustível para a MPX. Tem mais: a OGX precisava de equipamentos para extrair o petróleo, então Eike fundou a OSX, um estaleiro sob medida para alimentar as necessidades da petroleira.

Parecia algo autossustentável, uma empresa ia alimentando a outra. Tanto é que Eike chegou aos seus U$ 34 bilhões e à sétima posição na lista de homens mais ricos do mundo da Forbes em 2012.

A árvore genealógica das empresas parecia dar certo, mas não durou muito e uma empresa foi derrubando a outra causando um efeito dominó. A OGX produzia apenas 1/4 do esperado. Se a OGX produz pouco, não tem como pagar a OSX. E vão prejudicando suas empresas irmãs LLX, MPX e CCX. Tudo caindo uma por uma.

Quando Eike arquitetou seu ecossistema de empresas o barril de petróleo estava a U$200 e a China era a grande importadora de minério de ferro. Hoje, o barril de petróleo custa metade e a China passou a produzir minério de ferro. Resultado: a fortuna de Eike, atualmente, está a U$ 1 bilhão negativo – e essa dívida não para de aumentar.

Anúncios
Posted by:HERNANDES

Eu sou um protesto contra a insensibilidade.

6 replies on “Eike Batista pobre e a virtude de saber quando parar

  1. Engano seu! Tudo que Eike planejou era em função de reduzir custos e apropriar faturamentos em empreendimentos e serviços. A verdadeira razão da quebra das empresas de Eike será compreendida se olharmos um determinado contexto que explicarei a seguir:
    – Reparem que nunca uma empresa, cujos donos ou diretores foram acusados e condenados por corrupção, foi a falência ou perdeu dinheiro em decorrência disso.
    Todas as empresas envolvidas no escândalo do Petrolão continuam operando normalmente e vão cada vez melhor. Mesmo as menos conhecidas nacionalmente, cujos diretores e proprietários amargaram um bom tempo na cadeia até serem liberados para responder em liberdade, continuam faturando bem! Claro que nem todas ainda prestam serviços ou estão fazendo obras para a Petrobrás, mas a grande maioria está e continua recebendo pagamentos por isso. Nenhum pagamento de obras foi suspenso. Apenas descobriu-se que os preços embutiam propinas!
    Mas o que tem isso a ver com as empresas do Eike? Bom, ele sempre namorou discretamente uma aproximação com o governo do PT. Embora suas atividades não envolvessem contratos com o governo, apenas concessão de exploração de minérios e petróleo, Eike sempre fez algumas gentilezas com dignatários do PT. E foi assim que o inferno astral do Eike começou. Eike entusiasmado com seus empreendimentos no Rio de Janeiro, fez um convite ao Ex-Presidente Lula e o levou de jatinho (que ele já vendeu!) para visitar as obras! E o Lula embevecido passou o dia todo sendo paparicado pelo Eike. Lula entendeu que o empresário estava disposto a por a mão no bolso e financiar as campanhas do PT. Avisou o pessoal do partido e logo eles foram lá no Eike dar a mordida… Eike recuou e disse que sempre contribuiu oficialmente para partidos políticos em epóca de campanha e inclusive declarava isto no balanço das empresas, no TRE e Imposto de Renda. Aí o pessoal do PT fê-lo (gostaram da flexão verbal?) que se ele desse dinheiro sempre que fosse pedido (micharia! Um milhãozinho hoje quinhentos mil amanhã!) enfim se tornasse uma espécia de Caixa rápido do pessoal do PT, e ainda arrumasse cargos para alguns companheiros, ele teria muitas vantagens em contratos com o governo. Eike educadamente recusou a oferta e disse que raramente participava ou participou de concorrências públicas para obras do governo federal ou de qualquer outro, que dentro do perfil operacional das empresas dele, empreitar obras públicas não era uma atividade afim. Disse que levaria em consideração para empreitadas futuras e não mais sinalizou coisa alguma ao pessoal do PT. Conta-se que ele passou até mesmo a recusar-se a atender telefonemas do Lula e outros figurões do PT. Mandava dizer que não estava…. Coincidentemente meses depois as empresas do Eike começaram a ir de mal a pior, uma devassa fiscal foi efetuada em todas as empresas, concessões foram cassadas e até mesmo licenças ambientais foram suspensas! Associados aos reveses da economia mundial o império do Eike começou a ruir….É isso aí ! Eike quebrou por que não deu dinheiro ao PT!!!!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Pelo que sei, esse desafortunado começou sua fortuna utilizando informações confidenciais que seu pai, como funcionário de alto escalão na ditadura militar, o transmitiu. Ou seja, sua fortuna nasceu do meu e do seu dinheiro.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s